Eu quero um namorada

Como saber se ainda vale à pena tentar? Por favor, alguém me ajude

2020.12.01 15:59 Frank_Wh Como saber se ainda vale à pena tentar? Por favor, alguém me ajude

Bem... eu não sei exatamente como falar tudo isso, tá tudo tão preso aqui dentro, mas vamos lá. Essa última semana eu e minha namorada discutimos... sabe, ela posta umas coisas meio zoadas nos status às vezes, a maioria eu levo na brincadeira, mas tem vezes que acontecem umas coisas que eu acho falta de respeito comigo, por exemplo... postar uma foto dela, uma piadinha e um "namora comigo" no final. Achei meio zoado, mas deixei passar, foda é que ela já postou muita coisa que deixa meio ambíguo pro pessoal que conversa com ela se ela tá solteira ou não. Ela posta coisas sobre mim também, mas às vezes sinto que sou mais um no meio de outros tantos... não sei se realmente dá pra levar tudo como piada, e eu que sou muito amargurado, ou se certas coisas realmente são meio exageradas... não vou obrigar ela à nada, sabe, mas toda vez que eu comento que algo me machuca, ela briga comigo, eu tento MUITO conversar, mas ela é estúpida demais às vezes. Não sei se sou eu que sou chato demais às vezes. Bem, todas às outras vezes que a gente brigou de quase terminar, eu insisti muito nela, mesmo uma dessas vezes eu sendo quem pediu por isso... foi da boca pra fora. Mas 1 dia depois que ela postou a tal foto, eu postei umas bobagens com conotação sexual nos status, coisa leve e nada referente à mim, só imagem e print de conversa idiota que peguei da internet. Acontece que ela viu e ficou extremamente aborrecida, mesmo ela postando esse tipo de coisa TODO DIA, eu deixo pra lá, mas confesso que fiz isso dessa vez pra chamar atenção dela, pra tentar conversar sobre o quê tava me machucando sem levar patada e ela finalmente me escutar, ao invés de dizer "vou sair aqui, depois volto". Enfim, a gente discutiu, quase terminamos porque depois de ela mandar uma figurinha falando no meio da discussão dizendo "fodase irmãokk" eu vi que não tinha como conversar sério com ela, ela aceitou numa boa, disse que "só não sei(ela não sabe) como vou contar pra minha mãe e minha irmã sobre nosso término". Ela ficou relutante em desligar a call e no fim eu cedi, só demos um tempo, 2 horas depois ela me ligou e pediu desculpas, mas não assumiu que aquela foto que ela postou era meio... chata. Enfim, voltamos, mas não sei se ela realmente gosta de mim ou se tem medo de falar com os familiares sobre o término depois, ou se ela só se acostumou comigo. Não sei se eu que sou muito chato e exigente, eu não proíbo nada, e caso o modelo ideal de relacionamento dela seja diferente do meu, tudo bem, não quero prender ela. Só gostaria de saber, eu tô tão errado assim?? O quê eu devo falar pra ela pra tentar resolver as coisas que agora estão estranhas?? Eu tô magoado de verdade, eu não falto com respeito com ela nunca, mesmo com ela me mandando à merda. Eu sou muito chato?? Eu tô disposto à escutar tudo... obrigado desde já pra todo mundo que responder.
submitted by Frank_Wh to desabafos [link] [comments]


2020.12.01 12:17 vidacomplicada Sobre aborto, golpe, dinheiro...

Por favor, se você é contra aborto, não precisa perder seu tempo julgando. Apenas ignore.
Minha vida está muito cinza. Minha namorada está grávida. Aconteceu. E ter filho agora não é algo que podemos nem pensar.
Optamos por tentar o aborto com as pílulas conhecidas por todos. Mas aonde comprar? De quem? Até que achamos um anúncio na internet que parecia confiável. Mostraram as pílulas por chamada de vídeo. Ficamos com receio, mas compramos. O pior aconteceu. Era golpe.
Estamos muito tristes. Sem saber o que fazer. Foi mais de 500 reais perdidos. Moro de aluguel. As contas estão só aumentando. Agora esse golpe. E ainda precisando do remédio.
Amo minha namorada. Não quero nada de ruim pra ela. Se eu pudesse, deixava ela sem nenhum tipo de preocupação ou dor. Mas o que posso fazer pra ajudar, ainda faço errado, levando golpe.
Muito triste quando o dinheiro falta. Espero que as coisas melhorem e eu possa respirar de novo.
submitted by vidacomplicada to desabafos [link] [comments]


2020.11.30 23:42 bojack676 Ok, mais um post sobre amor.

Sei que vocês provavelmente já estão cansados de ler post sobre amor. E eu peço desculpas, mas é que eu preciso desabafar. Me desculpa.
Bem, eu conheci uma garota no início do ano. Quando vi ela pela primeira vez meu coração palpitou. Ela é amiga da minha melhor amiga, um anjo. A pessoa mais interessante e carinhosa que eu conheci até agora. Sempre fui muito humilhado pelas garotas, por amigos...então sempre tive problema em gostar no sentindo de namorar com alguém. Sempre odiei minha aparência, eu me acho horrível.
Enfim, a gente se tornou muito próximo e eu finalmente comecei a gostar dela. Eu me apaixonei por aquele sorriso, rosto, risada e carinho. Eu não pretendia contar pra ela e nem pra ninguém..mas com o passar do tempo foi ficando difícil segurar e esconder
Sabe, eu comecei a sentir a pior coisa que alguém apaixonado pode sentir. Ciúmes. Eu, um amigo, a garota que eu amo e a minha melhor amiga estávamos em call. E meu amigo disse: Po, se eu não tivesse namorando acho que eu estaria ficando com a Beatriz (nome fictício). E se não fosse pela quarentena ela se pá já teria ficado com meio mundo.
Isso me doeu, me destruiu por dentro. Mas eu não liguei, além do mais ele não sabe que eu gosto dela e eu e ela não temos nada. Então não vou chamar meu amigo de talarico.
Ela tem muito problema em casa, e é muito sentimental. Semana passada eu tentei me enforcar(um dos motivos deu ter voltado pra esse Reddit). Quando ela descobriu ela chorou muito achando que eu tinha morrido. Ela cuida muito de mim, não gosta que eu bebo..e até briga comigo quando estou bêbado.
Ontem lá estava eu bêbado de novo, como nos últimos 4 dias da semana. Enfim, criei coragem de me declarar. Mas como não sou idiota perguntei de quem ela gostava, e ela disse que era de um garoto que eu não conhecia. Ok, isso me machucou muito. Fiquei um pouco mais bêbado, liguei pra minha melhor amiga e disse "cara, eu amo uma garota."
A minha melhor amiga disse "você gosta da Beatriz né?", Eu concordei. Contei pra minha amiga o que tinha acontecido e ela riu. Ela disse "ela gosta de você. Na verdade está indecisa, mas não conta pra ela que eu contei"
Eu fiquei feliz, mas estava inseguro. Hoje quando acordei me olhei no espelho, eu me odeio. Uma garota que eu amo gosta de mim, talvez, eu não sei.
Mas tipo eu tenho medo de machucar ela ou dela me abandonar. Eu sou feio, uma aberração, eu me odeio. E ela já tem problemas demais em casa e medo de se relacionar, imagina lidar com alguém com ideias suicida igual a mim?
Sem contar que tipo, ela é uma garota ativa. Já beijou, namorou etc. E eu sou um jovem de 16 pra 17 anos que nunca beijou na vida. Eu não consigo, embora minha amiga diz pra mim ir eu não consigo. Eu juro que eu quero mas não consigo
É uma junção de coisa. Na escola eu sofri Bullying por ser gordinho. Minha família me chamava de feio, viado, me fizeram passar por momentos constrangedores. Eu juro que tento, mas não consigo. Isso me destrói cada vez mais. É aquela coisa, muitos dizem "vai lá, toma atitude", mas é fácil falar e difícil fazer.
Todos os meus amigos e amigas tem namoradas, fazem sexo, são bonitos e mais velhos. E eu não, eu sou o clássico palhaço pagliacci. O cara que fica com uma lata de Skol, que bebe sozinho em casa.
Ela já ficou com alguns amigos e amigas minhas. Isso me causa insegurança. Sei que ficar não significa nada...mas é que são pessoas próximas, e bem, eu acho que sou um idiota. Eu vou fracassar e aceitar como tolo.
Ela está me perguntando até agora de quem eu gosto, eu quero falar. Mas meus pensamentos dizem que não.
Eu me odeio tanto que não quero que aquela menina me veja. A gente se conheceu na quarentena, ela faz curso literalmente do lado da minha casa. Uma vez fui vender uma guitarra e era o horário dela ir pro curso, eu me escondi atrás de um carro pra ela não me ver. Por sorte naquele dia ela não tinha ido. Eu não consigo me ver com ela. Ela é um anjo e eu uma fodendo aberração. Me desculpa o texto.
submitted by bojack676 to desabafos [link] [comments]


2020.11.30 15:46 sei_q_to_errado Dependo de conquistas e relações sexuais para me valorizar e me sentir bem, mesmo namorando

Bom dia, espero ser breve e conciso nesse desabafo.
Tenho 23 anos, formei em um curso de engenharia 4,5 anos (aos 20 anos), trabalho na área de indústrias e meio ambiente. Tenho uma carreira impressionante pra minha idade, tanto acadêmica, já no doutorado com uns 7 artigos publicados, quanto profissional (2 empregos na área) e ainda sou sócio-proprietário de uma empresa que está deslanchando em minha região. Minha família é perfeitamente estruturada e eu tenho uma namorada que me ama mais que tudo e ela significa o mundo para mim. Tenho amigos leais e que mantenho contato sempre, carro e um apartamento em beira de praia. Sem querer me gabar, mais de muitas vezes, me disseram que têm inveja de minha vida por eu ser um "overachiever" ou por ser incansável e sempre ter sucesso.
Conto isso para o que vem a seguir.
A questão é, que eu não desejaria minha vida, ou pelo menos minha mente, pra ninguém. Mesmo tendo noção das minhas benções, eu não me sinto realizado, muito menos feliz. Onde eu busco esse bem-estar? Em sexo e conquistas de moças. Eu literalmente sinto prazer na adrenalina durante a todo o processo de conhecer uma pessoa, conquistá-la e transar com ela. Apenas isso me realiza, apesar de tudo que eu tenho. E o pior, é que eu me apego à pessoa.
Eu simplesmente não entendo, tenho objetivos, tenho frutos do meu trabalho, ainda a uma idade jovem, mas eu realmente sou viciado no ciclo de conhecer, "queixar", sair, conquistar e transar, e depois transar, transar... Até enjoar.
Eu amo muito minha namorada e odeio saber que eu faço ela passar por isso, e além disso odeio fazer essas moças passarem por isso, sendo que elas não são aproveitadoras, são meninas lindas e brilhantes, e algumas ainda se apaixonam por mim, e eu dou corda. Sem falar que eu uso muito serviços de acompanhantes quando eu passo por um momento de não encontrar alguém pra eu passar por esse ciclo de conquista-enjoo.
Quero dizer que isso não é algo racional, é quase instintivo da minha parte, e eu não consigo controlar, mesmo trabalhando isso com terapia.
Queria continuar trabalhando, e amar a minha namorada com todas minhas energias. Mas eu não me consigo me conter, e após uma noite com uma moça, eu me sinto muito bem e todo aquele estresse do dia-a-dia, inclusive a vida do meu relacionamento se torna ruído.
Ainda que exista um componente patriarcal/misógino nisso, gostaria de ressaltar que eu nunca conto nada disso pra nenhum amigo ou amiga, não é uma prova social, é uma forma minha de me valorizar, mesmo em frente de tanto que eu tenho.
Não sei mais o que fazer. Gostaria de saber da visão de vocês sobre isso, isso tem me feito muito mal.
submitted by sei_q_to_errado to desabafos [link] [comments]


2020.11.29 05:59 SeaworthinessAncient Guardar tudo para si

Vocês também tem disso de guardar TUDO pra si? Digo, não apenas as coisas ruins que acontecem, mas tudo de forma geral, seja de opiniões, conhecimento, desgostos, felicidades.
Eu me sinto completamente apático com tudo, as pessoas a minha volta vem conversar comigo e eu acho que elas esperam que eu fale algo relacionado ao o que ela acabou de falar, mas eu só consigo ficar calado em todas as ocasiões. Se a pessoa não me pediu a minha opinião, eu não dou. Se a pessoa não perguntou o que eu acho, eu não digo. Se a pessoa não me pediu algo, eu não faço e por ai vai e mesmo em alguns casos eu prefiro dizer que não sei justamente pra evitar prolongar e gerar conflitos.
Isso tem me afastado das pessoas e eu não era assim. É como se a minha personalidade estivesse desaparecendo... ou não, eu não sei, e isso tem me fodido a cabeça. Me sinto cada vez mais sozinho, sem companhia e me isolando.
As únicas pessoas que ainda consigo ter um contato maior são justamente as pessoas do meu trabalho, que por sinal não são as que eu quero tão por perto, mas eu estou conseguindo realizar essa proeza de afastar família, amigos e namorada.
submitted by SeaworthinessAncient to desabafos [link] [comments]


2020.11.28 07:01 imashxwty Como me sinto atualmente

Acho que antes de começar a contar como estou me sentindo eu tenho que contar como tudo chegou até aqui, e acho que vou tentar resumir da forma mais breve, então vamos lá:

  1. Como eu era e o que deu início a isso tudo: antes de 2015 eu era um garoto normal, nada demais, ia pra igreja, falava com os outros, passava um muito tempo jogando joguinhos, sempre gostei muito de entrar em fóruns, seja pra conversar, baixar jogos, programas, isso sempre foi um traço meu. Nesse mesmo ano eu conheci uma garota, eu tava no 7° ano, ela era uma garota legal, eu gostava de falar com ela, só que ela era MUITO DEPRIMIDA, muito mesmo, e a gente tinha uma amizade muito boa, eu gostava muito, mas ela teve que se mudar do município por conta que o pai dela arrumou um bom emprego longe de onde eu moro, consequentemente ela saiu né. A gente continuou mantendo contato diário, naquela época que você usava um dia o SMS e o outro usava internet pra acessar as redes sociais no celular. Ela sempre parecia estar cada vez mais triste, até que um dia ela me ligou, falando que me amava, isso, aquilo, eu tentei acalmar ela, ela parecia nervosa, ela se acalmou, falou que ia descansar; no outro dia a mãe dela me ligou avisando que ela tinha se matado, se enforcou, eu nunca procurei saber o que causava tanta tristeza nela, eu era muito moleque também, quando ela morreu eu não fiquei tão deprimido quanto uma pessoa ficaria, achei que era plano de deus, algo do tipo, mas eu nunca botei muita fé em religião, só queria achar alguma forma de negar aquela situação.
  2. Como eu fui decaindo: Os dias iam passando, eu mudei de escola, fui para uma nova, mas sabe, cada dia que passava eu me sentia muito muito sozinho, e em 2015 mesmo eu tinha entrado em um fórum no reddit, e lá a galera compartilhava muito sobre uma cena underground de música, que atualmente é a galera do lil peep, $B, Bones, Yung lean, Tracy e etc. aquilo realmente me chamou atenção, realmente era um refúgio, então ao longo dos meses eu deixei de acreditar de vez em deus, tava amarradão nessas músicas, comecei a ver Naruto desde o começo, eu tava me distanciando de tudo ao meu redor. Chegou uma hora que eu não sentia mais nada, nem feliz, nem triste, apenas concluindo a escola, então eu conheci um garoto aí, ele tava fazendo engenharia sei lá o que, basicamente ele trabalhava em laboratório que fabrica remédios hospitalares e farmacêuticos, e a remessa que vinha com erro eram desviadas, e começamos a vender isso na escola, inclusive eu era um ótimo vendedor btw, eu estava fazendo apenas pelo dinheiro, nada mais, queria ver se o dinheiro me fazia sentir algo, 2k para um adolescente em uma quinzena é muita coisa né?, mas eu acabei saindo disso, não sentia ânimo com nada, estava cogitando em me matar também, a vida tinha meio que perdido o sentido, etc, etc.
  3. Como as coisas ficaram melhores: Em 2016, eu conheci uma garota pela net, eu era meio que "famoso", ela foi me dar parabéns no Facebook, mas eu a prior ignorei, tava com a cabeça encostada na parede pensando em tudo aquilo, na vida rasa que eu tava tendo, mas decidi responder a garota, e formos conversando, ela usava foto de anime, mas ela tinha me mandado uma foto sabe, e ela era muito muito linda, de verdade mesmo, pensando com o pinto comecei a dar em cima dela, mas percebi que não dava certo, pois tinha firmado meio que um laço de amizade, não sei bem explicar, foi a melhor amizade que eu tive, a gente se dava muito bem, fomos se conhecer e tal, a gente sempre se via, era uma amizade perfeita; em 2017 eu conheci uma outra garota, eu não me lembro como, realmente não sei como, mas se achamos no Instagram, falando sobre Boku no Hero, é um anime de herói btw, quando fui ver, a conversa era boa pra caralho, tipo, amava muito conversar com essa mina, e eu estava realmente gostando dela, a gente se via também 2x no mês, a gente ficava quando saia juntos, fazia uns negócios fofos, era muito lindo, vocês tinham que ver. Eu realmente tava muito feliz, tinha uma melhor amiga e praticamente uma namorada, eu amava muito essas duas pessoas.
  4. O declínio: Querendo ou não eu me tornei uma pessoa muito triste, desanimada com a vida, e pra me dar tão bem com essa amiga ela não era muito diferente né, acho que por isso se dávamos tão bem... entender a dor do outro e tal, era bom ter alguém assim pra conversar, mas a gente nunca pensou em tipo, chegar aos TRINTA ANOS, é muita coisa sabe, sei lá... e em 2018, infelizmente, ela se matou, ela pegou um revólver, botou na boca, mirou pra cabeça e apertou, eu cheguei antes das autoridades lá, e olha que eu moro longe, eu lembro de ter ficado estagnado na porta do quarto dela, olhando aquilo tudo, pensando que aquilo nunca poderia acontecer, vendo o sangue escorrer pelos fios do cabelo dela, foi muito bizarro... Essa minha quase namorada me ajudou muito, mas advinha só? sim, ela morreu também, num acidente de carro, em 2018 também, cara, eu fiquei tão arrasado, eu nem sei explicar, eu ia pedir ela em namoro finalmente, foi muito tenso. Então eu comecei a me drogar, e por ter conhecimento prévio e produto gratuito, antes dos 18 anos eu tive 2 overdoses e um princípio de uma, mas ninguém sabe, eu usava uma ID falsa, e isso tudo só piorou, desenvolvi depressão, esquizo, ansiedade, etc.
  5. Como estou hoje: Atualmente eu não sinto nada, nem bem, nem mal, é como se eu tivesse aceitado a morte, mesmo estando vivo, nada mais me da tesão, sabe, de fazer as coisas, as drogas não surtem efeito, eu tô num abismo mesmo, eu também não ando afim de me matar, eu vi no reddit mesmo um cara falando sobre se sentir mais ou menos assim, e deixou a vida andar, ele conheceu uma mina, constitui uma família com ela e ficou feliz, eu não quero ter uma família nem nada do tipo, apenas quero alguma felicidade pra ter uma vida normal de novo, ando todo ferrado mentalmente, tenho conquistado muitas coisas, mas nada disso me trás um ânimo, um fôlego, sei lá, talvez eu esteja morto mesmo.
submitted by imashxwty to desabafos [link] [comments]


2020.11.28 00:43 Ran447 Um dia as pessoas vão sentir falta de mim

Um dia todo mundo que convive comigo vai sentir falta de mim. Eu fico realmente mal com o que as pessoas fazem comigo, ontem eu fiquei 4 horas ajudando minha mãe a escolher e comprar algumas pela internet, e o que eu ganhei? Uma bronca no final pq eu "só me enrolo pra ajudar ela" e hoje uma humilhação com direito a xingamento e tudo porque fui grosso com meu irmão (eu exagerei, eu admito totalmente, porém ela faz muito pior, a única diferença é que ela é a mãe e eu não). Essas semanas minha namorada não está muito bem, e ela acha que, só pq está mal, ela tem o direito de me tratar mal e fazer eu me sentir triste (o detalhe é que eu estou passando por umas semanas difíceis também, mas isso ninguém vê). E também, ainda essa semana minha amiga saiu com uns amigos e ignorou que eu existia; eu não iria por causa da covid, mas ela não sabia disso e não me convidou por pura desconsideração mesmo.
Eu tomo tanta porrada por como eu sou que eu passei muitos anos da minha vida achando que era um lixo, mas hoje eu sei que não sou. Hoje eu sei que sou uma pessoa boa, ainda tenho que melhorar muito, mas sou uma pessoa que ama ajudar os outros (até quem eu não gosto), que faz de tudo pra ver as pessoas que eu amo bem, e que deixo quieto o que me aflige para ajudar alguém, mesmo que não seja próximo da pessoa.
E pela primeira vez na minha vida eu sei que estou certo, eu vejo que quem está errado são as pessoas que agem com tanta ingratidão. E eu sei que, um dia, quando eu sair da casa dos meus pais, ou terminar com a minha namorada (o que eu não quero fazer, por mais que ela pareça uma pessoa horrível aqui nesse post, não é bem assim), as pessoas vão sentir falta. Vão me valorizar. Vão ver o quanto elas deviam ter me tratado melhor enquanto eu ainda estava com elas. Ver que você não é o errado da história pela primeira vez na vida é uma sensação inigualável.
submitted by Ran447 to desabafos [link] [comments]


2020.11.27 07:29 FelpsValentine Não sei se alguém será capaz de gostar de mim de novo

Olá, tudo bem? Nunca usei o reddit antes, mas acabei me deparando com posts q refletem algumas coisas q eu sinto, então vamos lá....
5 anos atrás eu estava namorando uma menina, minha primeira namorada (tinha 19 anos, hj tenho 24), era tudo razoavelmente legal, estava gostando da experiência de ter alguém q gosta de vc, mas por conta de uma séries de problemas pessoais, tive de dar um tempo, a gente morava um pouco distante um do outro, então custava uma grana eu estar indo ver ela, depois de um tempo, decidi terminar. Isso em 2016, logo após, 2017 inteira ficava naquela conversa "volta ou não volto?", eu e ela tinha dúvidas, a gente se viu em eventos q a gente frequentava, até se cumprimentava, mas não passava disso, bom.. 2018 a gente ficou de novo, mas viu q era melhor só amizade, dai ela começou namorar uma menina, ela se descobriu bi e ta com ela até hj, eu dei o maior apoio, não fiquei chateado nem nada. Ai q ta o ponto, eu não sei se já amei ela, já gostei sim, muito, amar msm nada, entende? ... mas enfim. Achei q encontraria alguém de novo, mas depois dela, é incrível q eu fui rejeitado muitas vezes, me senti de volta a adolescência, perdi autoestima, não sei mais socializar com as pessoas, me sinto as vezes um bicho do mato, quando saio pra rolê, visivelmente as garotas fingem q nem existe, por isso deixei até de chegar. Me sinto extremamente feio, algumas amizades confirmaram isso, não com palavras, mas ações, tentei ficar com 2 amigas, elas deram a desculpa da amizade, sendo q a gente nem se conhecia a tanto tempo e dps ficou com outros caras mais atraentes, eu não sou um cara incel e nem babacão, se eu sou ridículo o problema é meu, eu mantenho amizade apesar de tudo. A onde eu quero chegar com esse texto é q eu me acho extremamente desinteressante, extremamente feio e sem graça, até msm no grupo q pertenço onde a galera se considera "diferente" existe padrões e estou fora deles, por isso sou rejeitado e tenho até inveja de caras mais bonitos kkk eu penso : "nossa, se eu fosse assim.... ia aproveitar mais a vida". AS vezes penso q nunca devia ter terminado, é comum casais não se amarem, mas gostarem da companhia um do outro e se respeitarem, é uma relação saudável, melhor q muitos q não se gostam e empurram com a barriga. Não entendam mal! não tenho vontade de voltar, mas eu me pego pensando muito nisso de "ela foi e talvez será a única q me quis nessa vida". Eu tenho medo de ficar só, já são 5 anos. Esse ano cheguei até me relacionar com garotas de programa pra suprir essa "necessidade de afeto". Eu já sei q ninguém mais vai me querer, só gostaria de saber como ficar bem comigo msm, eu adorariaa ! tenho um amigo q não se relaciona com ninguém e vive tranquilo nessa questão, eu queria muito ser assim. Enfim, só um desabafo msm
submitted by FelpsValentine to desabafos [link] [comments]


2020.11.26 21:10 raimundoneto Tenho vontade de contratar uma garota de programa

Olá amigos. Ando passando por uma fase muito conturbada da minha vida, e acho que preciso conversar com alguém.
Eu não tenho uma vida financeira complicada. Embora esteja apenas no décimo período da faculdade de Direito, moro com meus pais e não tenho privação nenhuma. A ajuda que eles me dão serve muito bem para as minhas necessidades básicas e para comprar meus livros ─ que são praticamente a minha única extravagância, não sou pessoa de muitos enlevos.
Além dos meus pais, tenho uma namorada linda, que me dá apoio quando preciso dela, também está estudando (hoje tem um estágio remunerado e um emprego, que compensam a diferença de condições financeiras dos nossos pais) e contra quem eu não tenho nenhuma queixa. Estamos juntos há cinco anos, e não tivemos brigas sérias há pelo menos um ano, gozamos de um relacionamento muito bom.
No entanto, eu não consigo me sentir produtivo. De jeito nenhum. Tenho basicamente duas atividades pra fazer durante o dia: movimentar os processos que estão alocados pra mim no meu estágio (eu só tenho que abrir o programa do Tribunal e peticionar) e uns trabalhos que eu faço na faculdade pra conseguir uma grana por fora. O último que eu peguei foi um TCC sobre problemas que, em geral, as mulheres que cumprem pena enfrentam no sistema prisional.
Apesar de não ser muito serviço, eu estou há simplesmente duas semanas sem sequer olhar quantos processos há pra fazer na fila do estágio (mais de 300, com certeza). Quanto ao trabalho, já passei uma semana do prazo que me foi dado para entrega, eu nem sei mais se o cliente vai querer pagar por ele ainda.
Não sei o que acontece comigo, e já nem sei o que posso fazer para melhorar. Eu leio qualquer coisa que não tenha nenhuma relevância para meus trabalhos, mas não sou capaz de ler uma folha de artigo que sirva para concluir esse TCC que está mofando no meu computador; fiz diversas dissertações sobre diversos temas diferentes durante as duas últimas semanas (todas com finalidades meramente satisfativas, estão aí pela internet), mas não consigo criar vergonha na cara para abrir o programa do estágio para fazer algumas petições de duas páginas.
Antes eu culpava minhas primas pela minha baixa produtividade. Depois eu parei de morar com elas e passei a culpar a minha irmã. Agora eu estou na casa dos meus pais, que passam o dia inteiro trabalhando na loja e me deixam sozinho o dia inteiro, e eu já nem sei mais quem culpar senão a mim mesmo. Hoje eu terminei de ler o sétimo livro de uma coleção do Sherlock Holmes em oito volumes que comecei há menos de dois meses, e quando olhei para os livros empilhados sobre a minha mesa, pensei em tudo o que poderia ter feito enquanto estava perdendo tempo com aquilo. Talvez a minha fila pudesse estar em dias, entregado o TCC, fazendo outras coisas...
Ontem eu me senti cansado e pensei que se dormisse durante a tarde, poderia fazer tudo durante a noite e completar minhas tarefas até a manhã. No entanto, além de perder a tarde de trabalho, nada fiz durante a noite senão ler mais um livro inútil e dormir mais uma noite com a mesma sensação de ter perdido um dia inteiro. Minha vida tem se resumido a lamentar pelo que deixei de fazer sem ter forças para terminar.
Eu queria ter alguém para desabafar mas não quero contar para as pessoas próximas de mim. Meus pais são gente da melhor estirpe, tenho certeza que me escutariam muito bem se eu os procurasse, e digo o mesmo da minha namorada. Mas eles, todos os três, já passam tanto tempo trabalhando, que quando temos um tempo juntos nós saímos, comemos fora ou fazemos algo para desestressar, eu não me sinto à vontade para dar-lhes mais problemas quando eles estão em seus dias de folga.
Já pensei em procurar uma psicóloga, mas não me sinto à vontade para conversar com essa gente. Se tiver um psicólogo lendo este desabafo, por favor me perdoe, mas a mera sensação de estar sendo analisado, a ideia de outro ser humano vasculhando as entranhas da minha psiqué enquanto escreve seus relatórios técnicos bem-elaborados que trazem fatos sobre mim dos quais nem eu mesmo tenho conhecimento me causa repulsa, um mal-estar que me impede de responder mais do que um ou outro monossílabo.
A ideia mais sedutora que recorrentemente me retorna é a de procurar uma garota de programa, com quem eu possa falar sobre o que sinto sem o medo de ser julgado, ou de ter os fatos revelados sob conhecimento de pessoas próximas a mim. Durante todos esses cinco anos eu nunca traí a minha namorada, e nunca fiquei com outra garota que não fosse ela, por isso certamente algum amigo meu não negaria passar o contato de uma gp se eu pedisse, assim ele pensaria que eu estava transando e jamais descobriria as minhas intenções.
Naturalmente a questão é um tanto complexa, e um sentimento de dúvida paira sobre mim nesse instante, se é a coisa certa a se fazer. Receio que precise de encorajamento para tomar essa atitude, ou talvez de desencorajamento. Só sinto que eu não posso mais continuar vendo a vida passar por mim trancado neste quarto fingindo para o mundo lá fora que eu estou trabalhando enquanto minto para mim mesmo dizendo-me que um dia hei de trabalhar.
submitted by raimundoneto to desabafos [link] [comments]


2020.11.26 06:18 LukeMakki77 Totalmente sem saber o que fazer...

Bom, vamos lá
Namorei uma menina por 1 ano e 7 meses, terminamos na sexta-feira da semana passada (contra minha vontade, pois ainda gosto dela). Ela se dizia desgastada da relação após alguns leves desentendimentos entre nós e disse não estar mais interessada em mim. Essas palavras me machuram muito, pois eu sempre gostei muito dela, apesar de todos nossos problemas. Ela tem problemas de saúde, como depressão e ansiedade.
Nosso término ocorreu de forma até pacífica, em uma chamada de voz. Nessa chamada, ficamos longas horas conversando sobre o andamento da relação. Eu me dispus a resolver todos os problemas e tentar de tudo pra manter aquela relação... Mas como dito acima, ela me disse preferir que ambos seguissem seus próprios caminhos e vidas...
Nós sempre fomos muito próximos, nosso relacionamento surgiu através de uma profunda amizade no ensino médio e com o tempo nos apaixonamos. Nossa relação sempre foi muito tranquila, até que começou a pandemia...
Com a pandemia, não pudemos mais nos ver com tanta frequência, nossa solução foi encontrar algo para fazermos juntos a distância (inclusive nisso, descobri uma nova paixão, chamada League of Legends). Nós jogavamos todos os dias.
Porém,sentindo a ausência um do outro, nossa relação foi ficando mais superficial e menos emotiva. A gente se via eventualmente, mas já não era como antes...
Essa questão toda da distância e isolamento de tudo nos gerou diversos problemas, comecei a ter graves crises de ansiedade. Me tornei uma pessoa muito impulsiva. Inclusive, acabava sendo grosso excessivamente com ela, várias vezes, mesmo sem a intenção.
Isso foi desgastando a relação, mas não somente isso.
Ela foi criando novas amizades no jogo e já não passava mais aquele tempo todo longe de mim comigo. Ela, como já dito, tem problemas de ansiedade e depressão também.
Somando tudo isso, chegamos a uma situação onde a relação estava bem sobrecarregada.
Eu decidi procurar ajuda profissional e tem sido maravilhoso!
Todavia, os problemas do lado dela ainda não se resolviam e isso foi pesando, até que chegou sexta feira e terminamos o namoro (a pedido dela).
Passaram-se já alguns dias, busquei me manter bem ativo, mudei os móveis da minha casa de lugar, procurei trabalhos e cursos pra fazer e me aproximei de amigos do passado que me afastei. (Inclusive, me aproximei de uma amiga a qual já fui bastante apaixonado no ensino médio, antes da minha ex-namorada). Conversei com tudo isso sobre minha psicóloga e ela me deu total apoio e me disse estar lidando de forma bastante correta nessa situação, apesar de toda essa dor que eu sinto por dentro, afinal, ainda gosto dela.
Quarta-feira dia 25, minha ex pede urgentemente para que conversemos.
Decidi que não havia problemas e combinamos de eu ir amanhã na casa dela para buscar coisas minhas que estão lá, porém ela se sentiu incomodada, apesar de aceitar isso.
Todavia, ela pediu pra conversarmos no momento imediato via chamada. Eu aceito sem problemas.
Ela me liga chorando, dizendo que se arrependeu de tudo que me disse, que era mentira, que ela gosta sim e mim e me quer de volta. Ainda nas palavras dela "eu quero que tu cuide de mim".
Eu fiquei sem reação, eu prefiri optar por passar confiança a ela do que dar uma falsa esperança de que voltaríamos... Vou explicar:
Ela cogitou suicídio com toda essa situação...
Eu resolvi passar confiança pra ela em si mesma (o que eu tenho feito comigo)
Eu dei todas as qualidades dela, relembrei bons momentos da nossa relação e fiz com que ela se sentisse especial. Mesmo assim, não disse que ficaria com ela.
Eu admiti pra ela, estou com saudades, eu quero poder dizer que quero ficar com ela.
Mas ela magoou muito meus sentimentos e me machucou muito a forma como ela lidou inicialmente com isso.
Mas eu ainda gosto dela...
Só que eu tenho receio, ela pode estar pedindo por mim agora, mas na verdade ela só uma companhia pro momento difícil, e não por realmente me amar...
Eu aconselhei ela a buscar tratamento com um profissional e ela vai, além do mais, dei conselhos a ela sobre como ela pode superar essa "escuridão" toda que tem passado.
Eu do fundo do meu coração, desejo toda a felicidade e sucesso do mundo pra ela, mas não sei se eu sou o cara capaz disso, e com certeza eu não quero namora-la por pena.
Eu quero namorada por saber que eu a amo e ELA ELA AMA A MIM.
Mas como a saúde mental dela tá instável, não acredito que ela seja capaz de definir um sentimento por mim...
Amanhã vou na casa dela para buscar minhas coisas e ajudar ela em serviços na casa (só pra dar um ânimo)
Mas eu tenho medo de recair, estou indeciso
Eu a amo, mas não sei se devo amar
Não sei se eu realmente devo me sujeitar a esse relacionamento assim.
Estou sem saber o que fazer.
submitted by LukeMakki77 to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 19:49 TheAstrophysicist26 Concurso público

Bom muitas pessoas já devem me conhecer por aqui, tento ajudas as pessoas com conselhos, entrei aqui para desabafar e não tinha feito até agora, mas bom, vamos lá.
Irei fazer um concurso público em janeiro, um muito concorrido, pensei que abririam uma boa quantidade de vagas, mas na verdade só abriram 25, estou calmo por fora e surtando por dentro, o concurso engloba as matérias, matemática, física, química, biologia, história, português, geografia e redação, sendo matemática e física, as com mais pesos, justamente as que mais tenho dificuldades.
Estou estudando desde janeiro, tentei a prova ano passado e não passei e pensar que irei fazer a prova de novo e talvez não passe, cria um sentimento de perda total de vontade de estudar, um sentimento de desistir, eu já fechei grande parte da matéria, falta muito pouco para eu terminar, mas não sei mais o que fazer para melhorar, eu acerto uma grande quantidade de questões, mas ainda não acho que seja o suficiente, pois as questões que eu acerto não são de matemática e física.
Eu quero muito passar, é o meu sonho, se eu passar nesse concurso diversas portas vão ser abertas para mim,minha namorada tenta me motivar e até consegue, só que eu imagino que tem pessoas muito mais preparadas do que eu, do que adianta acertar diversas questões de outras matérias e não ser bom nas principais ? Meu medo de não passar cresce a cada dia, sei que eu não perderei um ano, até porque eu passei ele estudando, mas terei que esperar a fazer a prova novamente, toda a minha família acredita que eu vou passar e eu tento demostrar que irei, mas a verdade é que por dentro estou com uma quantidade enorme de sentimentos tanto de medo e angústia, quanto um pouquinho de alto estima pelas questões que eu fiz.
Já pensei em refazer as provas passadas referentes aos concursos, mas como isso pode me ajudar, se só estou as refazendo ? Eu tento estudar todos os dias, a não ser no dia da folga da minha namorada, que é o dia na qual eu descanso e tenho tempo para ficar com ela, ela tenta me motivar dizendo que eu vou conseguir, que sou inteligente e esperto, mas não digo para ela que estou sentindo que não irei passar, queria algumas dicas de vocês, ou alguém para me dizer algo.
Se leu até aqui muito obrigado, não sei como te agradecer, me desculpe pelo texto grande e obrigado pela atenção ^
submitted by TheAstrophysicist26 to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 09:05 Ryuukazi_01 Eu não tenho vontade de viver.

Oi, tudo bem?
Enquanto estou escrevendo isso, estou calmo agora. Mas notei que muitas vezes eu tenho medo de mim mesmo, em ter algumas recaídas de falta de vontade. Sim, falta de vontade. Não sei bem como iniciar o assunto… Então, sendo direto? Eu não tenho vontade de viver. Não sei como explicar bem em motivos, mas é como se nada fizesse sentido. Nada tem significado, nada tem um porquê, nada tem nada. E isso faz com que o esforço seja muito maior que as possíveis recompensas. E o que acontece se o esforço for muito maior do que a recompensa? Exato. Não há vontade. E é isso o que acontece comigo. Como eu não tenho significado em nada (ou seja, recompensa), tudo para mim é um pesar enorme, com a qual eu faço as coisas por fazer. Das mais básicas às mais complexas. Por isso pergunto tantos por quês (nada tem porquê para mim), por isso sou tão indeciso (sem significado, nada faz diferença), e por isso acabo tendo algumas crises de identidade (no final, eu me sinto culpado por ser assim. Porque eu não quero ser assim!).
Pra não perder a linha, vou começar assim; de trás pra frente. É por isso que sai de todas as redes sociais (Whatsapp, Facebook, Twitter, Instagram). Eu já nao postava nada, nadinha. Mas satisfazia as psssoas, e assim ninguém perguntava porque não tinha. Mas era como se os aplicativos fossem a minha caixa de pandora; Onde todos os meus monstros ganhavam vida – social, pessoal, profissional. Quando eu abro algum aplicativo, e vejo as pessoas felizes, realizadas, e etc... Eu me sinto um completo desajustado. Perguntas ficam se debatendo na minha cabeça, como: “Por que sou assim? Por que não posso ser como todo mundo? Qual meu problema? Será que sou amaldiçoado? Deus me odeia? Por que faria isso comigo?” E é então que vem a culpa: “Eu não quero ser assim... Eu me odeio... Odeio minha vida... Odeio minha aparência, minha mente, odeio quem eu sou. Tudo que eu quero e ser ou pessoa”. E bem, esse é o início de toda a crise de existência, e, porque eu sai de todas as redes socias. Elas me fazem mal. E sempre me lembram do que eu NÃO sou; mas deveria ser: Bonito, com vários amigos, vários planos de vida, e o mais importante; Feliz.
Também é por isso que não procuro relacionamentos. Quem, em sã consciência, iria se interessar por alguém assim? Depois de tudo que listei, acho que dispensa explicações. Mas ficar ao lado de alguém sem objetivos, sem ânimo. Um “de fora”, como se não fosse daqui (o que me lembra da minha vontade de ir embora – metaforicamente ou literalmente –, só quero sair por ai, rasgar meus documentos, e recomeçar tudo. Mesmo que signifique morrer (Sim, já pensei em suicídio. Mas nada muito sério. Afinal, se já está uma merda, que diferença vai fazer?). Mas voltando ao assunto. É como as pessoas costumam dizer: “Como que você espera gostar de alguém, se tu não gostar de si mesmo antes?”
Enfim, é isso. Não sei porque sou assim. Só sou. Desde criança, me lembro de nunca ter gostado de aglomerações (aniversários, gincanas, festas, etc...). Se ia um palhaço na escolinha, eu era o único que não achava graça. Se tinha festa junina eu odiava. Meu aniversário, até hoje não gosto. Mas nunca liguei muito também. Sempre considerei ser algo de criança. Crianças normalmente são tímidas as vezes.
Porém acho que o que seria um simples traço de personalidade, se agravou com uma má sorte da vida. Desde os meus 10 anos, ate os meus 14 anos, todo ano alguém morria. Primeiro, a minha avó materna de câncer. No ano seguinte, não morreu, mas minha mãe teve câncer, e passou o ano inteiro em hospitais. Mas no próximo, meu avô paterno, de câncer. No próximo, minha avó paterna, de câncer. No próximo, meu avô materno, pela idade. E no ano seguinte, pra finalizar, meus pais se divorciaram.
Esses 4~5 anos pegaram justamente a minha adolescência, então justamente, eu nao tive uma. Por conta de tantas pessoas sempre doentes, quem cuidava era minha mãe. Sempre indo em hospitais pra tomar conta. E meu pai trabalhava o dia todo pra nos sustentar. A questão é que eu ficava na casa de um amigo. E isso me fez sentir, o que seria ter tido uma família normal.
Eu sempre dormia na casa dele. Portanto, íamos sempre à igreja no domingo de manhã. Fazíamos churrascos. Íamos ao clube. Viajavamos para parentes deles, e etc. Lá tinha TV a cabo, então o pai dele assistia filme com a gente, jogos de futebol, e séries. Ele tinha um video-game, e vários vizinhos. Então jogávamos após a escola, chamávamos todos da rua, para fazer campeonatos. Jogávamos bola na rua, e outras brincadeiras. Eles foi o irmão que eu nunca tive; E a eles foram a família que eu nunca tive.
Várias vezes eu me pegava chamando a mãe dele de mãe, por engano. Ou pai dele de pai. Todas as vezes que eu voltava pra casa, era como "voltar pra realidade". Nós somos relativamente pobres. Não passamos fome, nem nada. Mas também não temos pra gastar. Então nunca tive TV a cabo, vídeo-game, e viagens apenas em datas comemorativas (tipo casamento de parente). Meus vizinhos eram todos idosos. E meu irmão de sangue tem o dobro da minha idade (Logo sempre morou fora e nunca conversava comigo). Minha mãe estava sempre trabalhando, ou cuidando dos enfermos da família. E meu pai trabalhado 12 horas por dia, todos os dias. Logo nunca pôde estar tão presente (Como pra ver filmes, jogar algo, me levar para esportes, ou simplesmente para conversar). E toda família tão ocupada assim... quem dera se se juntassem para churrascos ou igreja.
Com o passar da adolescência, minha auto-imagem também não foi das melhores. Eu tenho muitos pelos. Nada de anormal, apenas coisa de homem. Mas a moda hoje nao é essa nem de perto. E começou cedo em mim. Eu era obrigado a ir de blusa e calça na escola, mesmo apesar do imenso calor, para que nao chamasse a atenção. Eu nunca fui zuado, coisa de bullyin e tals. Mas porque nunca deixei nem sequer que notassem. Isso fazia com que eu nunca participasse de jogos de interclasse, pra nao ir de shorts. E nem que fosse ao clube (que era o prêmio), pra não tirar a camisa. Sempre usei cabelo grande. Mas para esconder a orelha (hoje já fiz cirurgia). E sempre usei aparelho nos dentes. Espinhas? Óbvio. Roupas e tenis? As velhas ganhadas de primos e irmão mais velho.
E essa é a questão: Eu cresci sozinho, em uma família humilde, sem grandes instruções de como se virar na vida. Minha mãe nao terminou o fundamental, e meu pai o colegial com supletivo. Logo, educação financeira, trabalho, universidade, intercâmbio, leituras... São coisas abstratas nas cabeças deles. Como que passariam algo para mim?
Hoje eu vejo o pessoal mais jovem saindo pra festas, tendo namoradas, famílias legais, e sempre estudando; Isso me gera uma mega sensação de uma vida que fora arrancada de mim. Mas que eu poderia tentar ainda... Porém estou sempre com um senso de urgência, que o tempo está passando, e tenho que fazer planos, estudar, juntar dinheiro, investir... Outrora ninguém me ensinará ou fara por mim. Mas ao mesmo tempo... não sei se quero.
Depois de muito reflexão, e juntando as peças para entender o porque das coisas que deram errado na minha vida, consegui tirar lissões muito valiosas. Hoje, já não me importo mais com muitas dessas coisas. Porém, hoje é isso: justamente, já não me importo mais. Não tenho uma religião. Não tenho uma família. Não tenho amigos. Não tenho vontade de nada. Não ligo pra mais nada. Parece que a energia que eu tinha na juventude se foi, e hoje estou cansado apesar de ainda novo [20]. E agora, não sei o que eu faço. O que vai me motivar? O que vai me fazer acordar de manhã e levantar da cama? O que vai me fazer querer viver?
Enfim, é isso. Se lá quem for você que leu isso, espero que esteja bem, e feliz. O Natal está chegando, então de valor aos seus bens, como família, estudos, juventude, e etc. Mas não se mate caso não às tenha, e seja gentil com as pessoas que podem não ter – a vida delas já é dura demais, e um pouco de gentileza pode fazer bem a elas. Bem, eu gostaria de finalizar com alguma citação ou um lição, como um presente valioso a que se tirar de todo esse drama que é a vida; Mas nao tenho. Mas, com muito amor e carinho, lhe desejo toda sorte do mundo!
submitted by Ryuukazi_01 to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 04:34 kamikazekn O que vocês consideram como traição?

Já havia desabafado aqui sobre a pessoa que eu gostava, que ela havia entrado em um relacionamento aberto mas que ainda gostava de mim. No momento fiquei bem chateada, pensei por uns dias e decidi que tava tudo bem, eu sou nova e por mim tudo bem ser ficante de alguém, não preciso me comprometer e só iria aproveitar as coisas boas desse acordo.
Chamei a menina e disse que tava tudo bem, que a gente poderia se ver caso ela quisesse e acabei saindo com ela sábado a noite, somente nós duas no apartamento. Eu (que pensava que ela tinha um relacionamento aberto) fui com uma roupa mais provocante (afinal, bora aproveitar). Conversamos muito, trocamos alguns toques e inclusive assistimos um filme juntas e nesse momento eu comecei a me aproximar dela e bom estávamos abraçadas olhando o filme.
No fim do filme (isso já era 4am) eu pergunto se tudo bem a gente continuar e ela disse que “eu queria muito ficar com você mas o meu relacionamento é fechado e eu não quero ser essa pessoa”. Sim, ela mentiu pra mim. Sai de lá e fui pra casa desapontada mas não surpresa.
Depois desse dia ela ainda me mandou mensagem, uma mensagem bem íntima como se nada tivesse mudado mas eu respondi com um “beleza” e a gente não se fala desde esse dia.
Enfim, queria saber o que vocês pensam dessa situação, eu realmente não sei o que fazer e penso se a namorada dela deveria ficar sabendo ou não disso.
submitted by kamikazekn to desabafos [link] [comments]


2020.11.24 17:17 gaofeizinho Eu não consigo me livrar do meu passado e estou ficando cada vez mais sozinho

Meus dois últimos relacionamentos foram as piores experiências da minha vida, em ambos eu fui traído e acabei igual um otário kkk mas vamos por partes
Em 2018 conheci uma garota muito legal, eu tinha acabado de me mudar pra São Paulo e estava encarando os horrores de uma nova escola e ela me apresentou muitos amigos e me ajudou a encontrar um lugar e não ficar me sentindo solitário na escola, nosso relacionamento era bom, mas ambos tínhamos alguns problemas pessoas e a família dela realmente me odiava, mas como bons adolescentes idiotas pensamos que iamos conseguir continuar e tentamos, bem pelo menos eu... Depois de meses de namoro comecei a desconfiar, eu tinha um "melhor amigo" e ele era muito próximo de nós dois, mas eu tbm conhecia a namorada dele então achei de boa(Grande erro) meus outros amigos me avisaram mas eu tava com medo de ser verdade então tentei negar, em fim, aconteceu guys.
Numa festa eles dois ficaram juntos, e eu vi então não tinha mais como negar, naquele momento todas as vezes que ela tinha me dito que era pra eu confiar nela passaram pela minha cabeça e eu percebi o quanto fui otário.
Uma amiga minha próxima se suicidou e eu sofri muito com isso, mas não tinja ninguém com quem conversar então sempre guardei isso pra mim. Por muito tempo me senti sozinho e não busquei mais amizades duradouras ou bons relacionamentos.
Aconteceu praticamente a mesma coisa no outro namoro, mas ela pelo menos terminou antes de eu poder ter certeza de algo kkkk mas uma semana depois tava namorando então fds
Já conheci inúmeras pessoas incríveis mas não consigo começar uma relação saudável porque eu não consigo confiar em ninguém, muitas pessoas se afastaram e fiquei me sentindo sozinho...MAS conheci alguns amigos bons e em particular a Gabi, que é minha melhor amiga, ela me ajudou muito e sempre ficou do meu lado, nunca conheci alguém que me confortasse tanto e me desse tanta paz, a gente joga junto, assisti filmes, séries, animes e conversamos sobre os livros que lemos. É alguém que me faz bem e que me salvou nessa quarenta, porque viver com minha família não é um bom ambiente pra me abrir.
Mas infelizmente acho que acabei me apaixonando por ela, eu acho que o problema sou eu e eu só sou um cara carente e patético... eu não consigo dizer pra ela oq sinto porque tenho medo de ser rejeitado e também medo de passar por tudo aquilo de novo, eu não consigo mais conversar com a gabi e acabei me afastando por causa do medo, e isso tem me torturado ao longo dos dias, lembrar do passado e do medo de estar sozinho dnv me mata por dentro e eu acho que não vou conseguir seguir em frente.
Eu praticamente desisti e acho que já estraguei tudo com ela, pode não ter mais volta e eu não quero dizer isso pra ela porque acho patético eu estar assim por algo do passado e sendo que é com certeza algo não recíproco. Enfim, talvez eu deva desistir pra não piorar as coisas
Enfim, se leu até aqui obrigado, acho que eu precisava falar isso mesmo que tenha saído tudo desconexo, mas ainda não sei oq fazer kkk
submitted by gaofeizinho to desabafos [link] [comments]


2020.11.23 04:02 Ze___r0 Gato

Boa noite pessoal, hoje aconteceu uma coincidência tão maravilhosa que demorei muito tempo para acreditar que era real. Eu e minha namorada estávamos fumando um e dando voltas de carro pela cidade quando decidimos ir até uma área que nunca tínhamos ido antes. No percurso, conversamos com minha sogra por FaceTime, que tinha adotado um gato literalmente minutos antes de ligar. Depois da chamada, conversamos sobre o quanto gostaríamos de adotar um gatinho quando nos mudarmos para nosso apartamento (atualmente moramos com meus pais até conseguirmos juntar dinheiro para mobiliar nosso ap). E, literalmente, minutos depois, enquanto cruzávamos uma rua de estrada de chão, completamente deserta no meio do nada, encontramos um filhotinho de gato MUITO jovem (no máximo 2 meses de vida), minúsculo, assustado, correndo desesperado pela estrada. Parei o carro e o trouxe para dentro, sou muito cético para acreditar em destino ou sinais, mas pela primeira vez na vida senti que ele era para ser nosso.
Voltando para casa, expliquei a situação para meus pais, e eles ficaram deveras irritados pela minha decisão de ajudá-lo, minha mãe ficou com medo de doenças e outras coisas que ele pudesse passar para nossa cachorrinha e eu senti o olhar de desgosto e julgamento de meu pai enquanto contava a história para ele (tem nojo e odeia gatos). Obviamente seria impossível ficar com o gatinho.
Resumindo, eu e minha namorada passamos horas com ele no meu carro enquanto procurávamos alguém para ficar provisoriamente com ele até que pudéssemos achar um lar. Por sorte, minha amiga pode cuidar dele essa noite. Postamos em vários grupos de adoção de animais de nossa cidade e conseguimos achar um lar com um rapaz que parece ser muito querido e que vai dar muito amor e carinho para ele.
Por mais feliz que fiquei por termos achado, sinto como se eu estivesse “jogando fora” o meu destino. Passei menos de 12h com ele, mas me apeguei demais, queria muito ele para mim. Mas, mais uma vez, meus pais foram a barreira contra qualquer coisa que eu quero.
Fazia muito tempo que eu não chorava, sou meio reprimido com alguns sentimentos, mas não consegui segurar dessa vez, nós tínhamos nos dado tão bem, e agora ver ele partir pra nunca mais vê-lo foi demais para mim, sou muito apegado em animais.
Aqui algumas fotos do meu Doom (nome provisório que dei)
submitted by Ze___r0 to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 21:40 AtlasB11 Não tenho mais amigos e aluguei uma namorada

Meu amigo de longa data me chutou em parte por problemas psicológicos dele e em parte defeitos meus. Não tenho nenhum outro amigo e desde pouco mais de seis meses atrás, comecei um acordo com uma garota que já conhecia. Essencialmente é um relacionamento sugar. Ela se esforça pra ser uma boa namorada e me agradar, eu ajudo ela com dinheiro. Apesar da situação, ela é uma garota maravilhosa em personalidade e valores e a melhor namorada que eu já tive, embora que a lista seja grande. Apesar disso, pelos problemas psicológicos e financeiros serem tão graves, ela é emocionalmente fechada e isso dificilmente vai mudar. Não tenho mais ninguém na minha vida, seja amigos ou outras garotas e comecei a ter medo de ter outras pessoas perto. Sei que posso confiar nessa garota, pois ela já provou ter morais incrivelmente sólidas, mas sinto uma desconfiança grande de todo mundo. Mesmo ela, por ser tão fechada, eventualmente deve ir embora, provavelmente mais cedo do que eu gostaria, pois a amo. Não sei se quero conselhos, não acho que dá pra consertar nada fazendo algo específico, mas eu literalmente não tenho ninguém pra desabafar disso
submitted by AtlasB11 to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 07:24 vitulo Descobri um câncer grave aos 25 anos no meio da pandemia

Oi amigos,
Primeiramente queria dizer que sempre acompanho os desabafos de todo mundo por aqui e sinto que esse é um bom lugar pra se sentir bem com os seus problemas.
Eu tenho 25 anos, uma carreira muito bem sucedida (+20k mês), namoro e moro junto com minha namorada há 8 anos, tenho 2 cachorros que amo demais e tudo tava praticamente perfeito. Como qlqr um da nossa idade, nunca me preocupei com saúde e trabalhaviajacurtir eram as minhas prioridades.
Eu tinha uma pinta nas costas que cresceu de tamanho e no ano passado fui na dermatologista olhar, na época ela disse que era só estético e que meu plano não cobria o procedimento (claramente cobria, mas ela fez isso pra ganhar pelo procedimento) e que eu podia pagar ou manter assim. Decidi manter pois em momento algum me incomodava esteticamente, mas se eu soubesse o que ia rolar depois pagaria o dinheiro que fosse pra tirar...
Eis que na pandemia essa pinta virou uma pequena verruga, e ainda com aquele diagnóstico eu fui deixando passar. Até que em setembro eu procurei uma outra dermatologista que tirou a verruga e mandou pra biópsia. Num certo dia de setembro a dermatologista me liga por volta de 23hrs dizendo que eu teria que ir lá no primeiro horário, e aí a gente já começou a se preocupar.
Cheguei no consultório pela manhã e ela me disse o diagnóstico: melanoma metastático, o tipo mais grave de câncer de pele. Na hora o meu mundo caiu (eu acho que é uma sensação muito difícil de descrever, em poucos segundos toda a sua vida passa na sua cabeça e vc começa a se planejar pro pior) mas eu tentei me manter o mais estável possível até pra não preocupar minha namorada e os meus pais (que moram em outra cidade).
No mesmo dia fui no consultório do cirurgião oncologista e ele me descreveu a situação. Meu caso era relativamente grave e o câncer de pele é um dos mais traiçoeiros pq ele pode aparecer de diversas formas depois. Fiz todos os exames possíveis e imagináveis e por sorte o câncer não se espalhou pra nenhum outro órgão, mas p/ os linfonodos da axila. Ter o diagnóstico com 25 anos e sem nenhum outro caso na família ainda piora bastante a situação, pois é um tipo de câncer que geralmente acomete as pessoas mais velhas.
Fiz uma cirurgia depois de 2 semanas pra tirar o melanoma, abrir uma margem de segurança e tirar o linfonodo que tb tava acometido. Por sorte, tudo bancado pelo plano de saúde da empresa.
Em outubro, comecei a imunoterapia, um tratamento muito recente que ativa o sistema imunológico pra identificar e tratar possíveis metástases da doença. Por um lado, me sentia azarado por ter sido pego por essa doença, mas pelo outro me sentia muito muito feliz por ter acesso à um tratamento super caro (+50k mês) e por receber tanta energia positiva das pessoas que gostam de mim.
Agora em novembro tive que pausar o tratamento pq ele tá acabando com a minha tireoide, e pelos exames recentes tenho tb um hipertireoidismo pra tratar pelo resto da vida. Além disso, descobri uma nova pinta perto da cicatriz da cirurgia que apareceu muito rápido, com um aspecto muito parecido com melanoma. Fiz uma outra pequena cirurgia pra tirar ela e mandaram de novo pra biópsia, vou saber o resultado na semana que vem...
Comecei a terapia no mês passado, o que vem me ajudando mas não tanto pq é difícil desabafar com alguém que nunca passou por isso. Ao mesmo tempo procurei alguns grupos de apoio de pacientes com melanoma, mas tbm não me senti bem pq me parecia muito "mórbido".
Tô tentando levar a vida numa boa, vivendo um dia de cada vez e dando valor às pequenas coisas, e de verdade estou feliz com isso tudo. Sempre fui uma pessoa de fazer planos pro resto da vida, e ter qlqr pensamento de que minha vida vai acabar mais cedo do que eu imaginava não entra na minha cabeça.
Ao mesmo tempo, viver isso tudo numa pandemia, onde eu não posso estar perto dos meus amigos, da minha família e das pessoas que eu gosto é uma completa merda (e ainda tenho que tomar cuidado em dobro pq agora sou grupo de risco).
O câncer não me representa, eu não estou numa batalha contra ele onde vou "ganhar" ou "perder" como todo mundo costuma dizer, e eu não quero ninguém com dó de mim pq eu era "muito novo".
Eu espero poder voltar com um update daqui há 1 ano de que tudo deu certo. Nunca vou estar "curado", mas comemorando cada ano novo de vida.
Cuidem da sua pele, usem protetor solar e façam seus exames, pfvr.
Obrigado pelo espaço. :)
submitted by vitulo to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 01:08 bombarril Ruim com ela, pior sem ela

TL;DR: terminei hoje, eis aqui um longo desabafo.
Hoje de tarde pedi um tempo para minha então namorada. Nossa relação estava me fazendo mal, e os momentos bons eram tão raros que não compensavam o esforço. Mas como me dói... Eu ainda amo aquela menina, e sei que ela realmente estava tentando ser uma boa namorada para mim, só que eu não acho que ela possa simplesmente mudar o jeito dela, nem acho que isso seja correto.
Eu sinto falta de quando a gente era amigo. Tudo era tão mais fácil... A gente se via, comia junto, dava risada, assistia um filme. Depois disso, íamos cada um pra sua casa, sem compromissos, sem discussões. Só coisa boa. Começamos a namorar e começam as expectativas um do outro. Eu nem sei se eu pedia demais, sabe? O que me motivou a pedir um tempo foi a falta de interesse dela.
Eu sei que ela tem seus compromissos, e que o pai dela é um pé no saco, mas poxa, já estamos há 20 dias sem se ver, e moramos perto. Eu também tenho meus compromissos, e conseguia sempre arranjar um espacinho para acomodar algum encontro ocasional. Eu propunha encontros sempre, sempre. Na amizade a gente se via umas 3 vezes por semana. Começamos a namorar e passamos a nos ver aos fins de semana. Depois só de domingo. Estamos há algum tempo nos vendo domingo sim, domingo não. E pra mim isso simplesmente não dá. E quando a gente finalmente se vê, ela age tão distante... Ela não segura minha mão nem me beija. Se eu ganhar um selinho é muito. E mesmo que eu só abraçasse ela pelo resto da minha vida, por mim isso não seria problema, sabe?
Eu me sinto... descartável. Toda vez que eu planejo um encontro e ela me fala uma das 3 clássicas, eu fico bem mal.
  1. Estou ocupada
  2. Meu pai não deixa
  3. Não quero
E ela? Tanto faz. Ela mesmo me disse isso uma vez. Não fazia diferença se ela me visse ou não. Ela estava contente apenas trocando mensagens. A gente praticamente webnamora, embora moremos na mesma cidade e sejamos maiores de idade. Ela é um amorzinho por mensagens, responde rápido e a qualquer hora, sempre dizendo que me ama e que me quer na sua vida. Mas ela fala uma coisa e age de outro jeito... Sei lá. Peço pra fazer call e parece que eu tô pedindo o cu dela. Sempre um sacrifício pra ela fazer qualquer coisa. Convido ela para jogar o jogo favorito dela, pq eu tô com saudades, e ela várias vezes me diz q n ta a fim ou q tem mais oq fazer. Daí em questão de 1h eu vejo e ela ta la jogando solo q. Ah, mas vsf. Eu valorizo demais o tempo q eu passo com ela, seja oq for. Pra vc ter uma ideia, eu já fui até em velório pra outra cidade com ela. Odiei, foi péssimo, mas eu fui pq era com ela. A companhia dela me motivou. Agora ela? KKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Uma vez eu tava NA RUA DELA, e falei:
"Amor, tá em casa?"
"Tô, pq?"
"Tô aqui em frente kkkkk. Vem aqui"
"Não posso"
"Como assim?"
"Tô ocupada agora, não vou sair aí"
Eu chorei. Estava morrendo de saudades. Eu sou meio trouxa, eu admito.
Sei que ela era fiel. O problema real dela é a depressão. Ela sofre com isso desde a amizade, e eu sempre fiz meu melhor pra ajudar ela com isso. Sei que provavelmente seria bom pra ela que eu continuasse vivendo este relacionamento, mas honestamente, pra mim não dá mais. Choro quase todo dia, passo um puta nervoso, pq ela simplesmente se isola de mim e de todo mundo. Preferia ainda ser o amigo dela. Ser seu namorado tem sido desgastante.
Enfim, pedi um tempo pra ela hj de tarde, após mendigar pela terceira vez no dia se eu poderia ver ela. De manhã, ela disse q n sabia, q ia ver. No almoço, disse que faria faxina e q só se fosse mais tarde. Daí fim de tarde ela me diz q nem fez faxina, e que n ta fazendo nd, mas q a gente n ia se ver msm. Isso a gente estando há VINTE dias sem se ver. Daí eu tiltei. De modo educado, claro.
"Sério. Pra mim não dá mais. Não aguento mais esse sufoco pra simplesmente ver a sua cara. Eu quero um tempo."
A resposta dela?
"Tudo bem, eu compreendo. O que quer que você ache melhor para vc"
Não nos bloqueamos nem nada. Só não nos conversamos, e planejo tratar ela como uma conhecida por algum tempo, enquanto eu organizo minha cabeça, e ela a dela.
O que eu realmente espero com isso é que ela mude de ideia sobre tudo, e comece a me valorizar. Mas eu n acho q isso vá acontecer. Acho q acabaremos n voltando mais.
O que me dói, honestamente. Sei que todo mundo deve dizer isso, mas é minha primeira namorada e eu n consigo imaginar outra pessoa em seu lugar. Eu vou provavelmente procurar alguém muito similar, e comparar essa pessoa à minha ex. Eu simplesmente amo ela, conheço tudo dela, sei de tudo que ela gosta e de que ela não gosta. Sei dos podres, dos problemas, dos medos. E ela os meus.
Caras, aiai. Eu amo ela como eu amo minha irmã, como eu amaria uma filha. Eu quero tanto ela bem, puta merda. Eu tô mto dividido, queria que ela fosse diferente. É só... Mas é tão difícil...
Antes fosse só ela o problema. O pai dela me detesta por várias e várias razões. Eu tenho que ouvir as abobrinhas dele toda vez que cogito algo que ele não aprove, além do que ele já critica meu jeito e minhas atitudes. Ele me culpa por tanta coisa que eu nem tenho nada a ver...
Queria nunca ter pedido ela em namoro, gente. Acho que é isso. Sinto falta da minha amiga, e da minha paz de espírito.
submitted by bombarril to desabafos [link] [comments]


2020.11.21 19:42 TheAshba Decisões que me fizeram ser "Vitorioso aos 21 anos"

Vou contar um pouco sobre a minha vida, hoje eu estou meio sensível e quero desabafar...
Minha família sempre foi humilde e simples (Mãe, padrasto e irmão), nunca faltou comida em casa, tive privilégios como vídeo game e computador graças a pensão que meu Pai mandava. Morei a minha vida toda em um bairro simples e humilde da zona sul de SP, vivíamos bem com 3 salários mínimos e casa própria.
Quando eu estava no 2º ano de ensino médio me vi perdidamente apaixonado por uma garota chamada "S", éramos da mesma classe fazia 2 anos e eu a amava do fundo da alma, todo dia nós nos víamos na escola e conversávamos, ela sabia que eu amava ela porque eu já tinha contado, mas ela dizia não ter esse sentimento reciproco, ela gostava de min como um irmão (na época os meus amigos nomeavam de friendzone), eu aguentei por um tempo mas chegou um dia que não deu, explodi e coloquei tudo que sentia para fora e desabei em minhas lagrimas, ela disse não pela ultima vez. Foi ai que eu decidi que ia mudar tudo na minha vida e esquece-la!
A primeira coisa que eu fiz foi mudar de escola na metade do 2º ano, fui para uma escola melhor e bem classificada no ranking de escolas publicas da zona sul de São Paulo. Dentro da sala de aula eu sempre fui o cara que tirava 5, 6 e 7 nas provas e avaliações, e isso me mantinha aprovado na escola antiga, porem na escola nova a média era 7, tive que me adaptar e foi bem difícil, passei a estudar de verdade e conseguir passar para o 3º ano.
No final do 2º ano eu percebi que já tinha superado meu amor não correspondido, mas ainda lembrava dela com frequência, até a encontrei no ônibus algumas vezes, meu coração pulava dentro do peito quando isso acontecia.
O 3º ano foi o melhor de todos, amigos legais, garotas bonitas, passeios de classe, idas ao Ibirapuera depois da aula, tudo perfeito a não ser meu problema com minha identidade visual.. Fui muito inseguro com minha aparência e sempre me achei feio, não tinha coragem de chegar nas garotas e só flertava quando alguma garota dava em cima, fracassado né.
Mas foi no final do 3º ano que minha vida ia começar a mudar, um amigo me disse que já ia começar a procurar emprego caso não entra-se na faculdade por vestibular, e eu fui fazer a mesma coisa porque a situação em casa estava ficando difícil, meu padrasto estava desempregado e minha mãe fazendo festa de criança, não estava fácil sustentar eu e meu irmão. Nesse procura por emprego no vagas.com , encontrei um curso de administração grátis dado pelo Instituto ProA e foi ai que tudo começou!
Inicio de 2017 iniciei esse curso de administração "Preparatório para o mercado de trabalho", a melhor experiência da minha vida, 4 anos de conteúdo em 6 meses de curso, eu e meus colegas de curso estávamos em êxtase, o curso não era fácil e era muito criterioso, mas eu consegui passar e no final ainda consegui uma indicação para o mercado de trabalho. UMA VAGA DE APRENDIZ EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EM UM BANCO MULTINACIONAL SUIÇO, parece até piada o garota humilde da quebrada conseguir isso aos 18 anos, nesse banco eu já ganhava salario de mil reais, vale refeição e transporte, convênio e os caralho.
Paralelo ao emprego de jovem aprendiz eu estava estudando para fazer o ENEM, estudava 2 horas por dia durante a semana já que trabalhava apenas 6 horas, fiz outros cursos grátis também no Instituto IOS e fazia INGLES pagando com meu salario. Fiz a prova do ENEM no final de 2017 e consegui uma bolsa de 100% para cursar Redes de Computadores na UNINOVE, o primeiro da família a entrar em uma faculdade, minha mãe chorou tanto...
Na metade de 2018 meu contrato de estagio acabou e eu não conseguir efetivação por falta de vaga, minha mãe foi embora com meu padrasto e irmão para o interior de São Paulo e me deixaram cuidando da casa, queriam criar o pequeno em uma cidade calma e com ar limpo. Um amigo de precisava de um lugar para morar, porque a mãe e o padrasto também estavam indo embora só que para o Japão kk, chamei ele para morar comigo e dividir os custos da vida. Graças a ele ter vindo morar comigo eu conheci uma garota que acabou virando minha namorada, ficamos juntos por 2 anos, terminamos faz 21 dias, estou bem sem ela e quero que ela seja feliz.
No começo de 2019 consegui um estagio em TI, fiquei lá por 8 meses e sai porque consegui um outro estagio que pagava bem mais e eu iria aprender em dobro também, assim 2019 se resumiu a trabalhar e estudar.
E por fim, agora no final de 2020 vou concluir meu curso da faculdade e meu estagio ao mesmo tempo, vou ser efetivado ganhando quase 4 mil reais com todo tipo de beneficio possível aos 21 anos, sem nada para me preocupar a não ser trabalhar e cuidar da minha vida.
Me considero um cara sortudo que por algum motivo o destino sorriu pra min e me deu tanta experiência, conhecimentos, amigos e oportunidades. Só que não sei porque eu, só sei que vou aproveitar tudo isso e continuar sendo humilde e ajudando as pessoas da forma que me ajudaram!
Uma mudança radical na sua vida pode fazer as coisas melhorarem, não hesite, eu tive medo e é normal ter medo, você só não pode hesitar porque isso vai limitar as oportunidades que podem aparecer pra você, então da a cara pro mundo, mude, passe vergonha, trabalhe bastante e não se acomode..
Obrigado por tirar seu tempo para ler minha história 😊
submitted by TheAshba to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 21:32 UltraGaren Eu e minha (agora ex) namorada terminamos no início de outubro e eu quero minhas coisas de volta mas ela não retorna minhas mensagens. Como proceder?

Ela ficou com duas camisas e um chapéu do Rammus (boneco de LoL) que na real é do meu irmão mais novo. Eu também fiquei com um headset que eu não quero mais. O que eu fazer se eu não consigo entrar em contato?
Me parece meio tosco a ideia de ir numa delegacia e falar "seguinte a minha ex-namorada tá com meu chapéu e eu quero de volta".
(Eu não tenho o contato dos familiares dela)
submitted by UltraGaren to brasil [link] [comments]


2020.11.20 19:28 SnooRevelations4846 ME ENTENDENDO NESSA PANDEMIA...

Sempre tive isso dentro de mim, eu apenas não aceitava e reconhecia, eu me esforçava para parecer hetero na frente de todos, sempre que passava uma menininha eu olhava para fingir que gostava para os meus amigos, mas quando eles estavam distraídos eu dava um raspão de olhada mesmo era para os meninos, eu chegava a ser até o homofóbico ás vezes, não me orgulho disso.
Para mim isso só acontecia porque eu nunca tinha ficado com nenhuma menina, até que no começo desse ano, conheci uma menina dá minha igreja na escola... então aconteceu de que nós dois começamos a conversar e nossos amigos começaram a perguntar pra ela, se ela ficaria comigo... meus amigos me perguntaram o mesmo. Eu disse que sim porque eu só estava com medo de terminar o ensino médio sem nunca ter beijado ninguém (drama teen), mas internamente eu só queria saber se eu podia sentir algo por uma menina!
Mais tarde nós nos beijamos, e eu simplesmente não senti nada! diziam que parece que tem borboletas na barriga, mas nada aconteceu, foi só um beijo sem emoções.
Na Pandemia começamos a trocar muitas mensagens e eu comecei assim... a me sentir muito hetero. Ás perguntas que eu tinha sobre mim, começaram a desaparecer. Comecei a imaginar um futuro com ela e tals, bem casalzinho mesmo. Isso foi por 4 meses, de março até um pedaço de junho. Então comecei a querer ver pornografia gay😶 Tinha certeza que era Bi nessa época. Minha mãe sabia que eu estava conversando com essa menina e foi falar para o resto dá família que eu estava namorando, daí eu fiquei tipo... tão tá né! Mandou eu chamar ela para o meu aniversário, eu chamei né, morrendo de vergonha mas chamei, tinha sido a primeira vez que agente ia se ver desde a quarentena! Contei o que minha mãe disse pra minha família e ela disse que vinha como minha namorada então. Começamos a namorar! Não foi feito nenhum pedido, mas se tratávamos como tal.
Comecei a frequentar a casa dela, se beijamos várias vezes... O negócio esquentava por diversas vezes, mas não saia do lugar, diz ela que a primeira vez queria que fosse depois do casamento, eu não via problema em esperar ela, eu também no fundo não queria, mas não sabia o porque, já que eu achava que era Bi. Ficamos assim num relacionamento de 15 em 15 dias eu indo lá. Sempre que saia de lá eu pensava: "Ai que vontade de beijar um homem" 😅. Comecei a assistir vídeos LGBTQIA+ na internet e a entender mais sobre mim. Comecei a me questionar novamente, decidi que não estava feliz indo na casa dela e resolvi terminar o relacionamento. Disse que não estava apaixonado e não sabia se um dia iria me apaixonar um dia por ela, que eu apenas gostava dela e de ficar com ela, mas achava que só ficaria por isso mesmo. Sugeri continuarmos amigos e ela disse que depois do fim de um relacionamento, ela bloqueia a pessoa total e que não fala mais com o ex. Na mesma hora, eu pensei melhor e levei ela para fora do ape dela (a mãe dela estava no quarto do lado) e disse para ela que estava em dúvida sobre a minha sexualidade! Ela me entendeu, me agradeceu por ter sido honesto com ela. Ela sugeriu continuarmos juntos porque eu podia ser BI e me arrepender depois. Em fim, não continuamos.
Duas semanas depois do término agora, eu sei que eu sou Gay! Então não poderia dar certo mesmo.
"Quero me adentrar mais na comunidade, então se alguém tiver um grupo LGBT+ que eu possa entrar, ia ser muito grato. Tenho 17"
submitted by SnooRevelations4846 to gay [link] [comments]


2020.11.20 15:34 Impressive_Ad3980 Profissão

Sou fulano de tal e tenho 24 anos,minha mãe sempre me criou sozinho e já Meu pai é presente para uns filhos e ausente para outros portanto minha mãe ficou com essa responsabilidade de ser mãe/pai porém, um dos meus irmãos sempre foi motivo de idolatria por minha parte, sempre me espelhei nele ainda mais por ele sempre “me proteger” dos outros irmãos, então tudo que ele fazia eu queria fazer igual, ele é odontólogo bem sucedido já na faixa dos 35 anos e eu obviamente “segui” os passos dele na área, eu gostava da faculdade, do aprendizado, dos atendimentos nem tanto rs, eu morava de favor na casa da mãe desse irmão,onde era bom porque era atrás da faculdade , porém como tudo não são flores,paguei com minha saúde mental esse previlégio de morar perto,ter que ouvir bosta todo dia e ter que ficar quieto pq estava de favor lá ,minha mãe e padrasto suaram pra pagar meus materiais que eram muito caros,então eu tinha que aguentar, até porque eles não tinham condições de pagar moradia que era muito caro na capital,no 3 ano de faculdade conheci uma pessoa e comecei a me relacionar, ela vinha de problemas familiares parecidos com os meus, ela via oque meus familiares faziam comigo e no último ano de faculdade a minha sogra( que é maravilhosa) e ela me chamaram pra morar com ela, aceitei e mesmo que ela morava bem longe de lá e pegávamos ônibus todos os dia para chegar na faculdade eu estava feliz, consegui recuperar minha saúde mental, conseguimos nos formar. Parecia que tudo ia começar a dar certo porém tomamos um banho de água fria do mercado de trabalho saturado, fomos para minha cidade no interior que era 200km da capital, trabalhávamos em uma clínica aqui outra acolá ,até que minha namorada conseguiu passar em um seletivo do psf e começou a melhorar um pouco pra nós, e eu fiquei nas clínicas da cidade onde não me sentia muito feliz no que estava fazendo , até que esse meu irmão que eu idolatrava me Deu um banho de água fria, quando falou algumas coisas pelo wpp para mim que era algo que nunca esperava dele( basicamente disse que não me considerava como irmão), não disse com essas palavras mas deu a entender, não me pergunte o motivo porque até hoje me pego fazendo essa mesma pergunta enfim, a partir dali só foi ladeira a baixo, engordei 20kg dentro de 3 anos e já não sentia muita vontade de fazer nada, ia trabalhar arrastado todos os dias, ainda vou,não tenho mais perspectiva na minha profissão,basicamente odeio oque faço e está me fazendo mal ate hoje,já tentei conversar com minha mãe porém ela é bem cabeça fechada e que pra ela mesmo se está ruim você deve continuar, pq ninguém é feliz trabalhando, e eu já não tenho esse pensamento, acredito sim,que existe pessoas que amam oq faz e sei também que umas odeia(meu caso),minha namorada que me ajuda muito nessa parte, devo tudo a ela,conversamos muito sobre isso, ela sempre me incentiva a tentar fazer outra coisa da vida, conhecer outros ares, procurar saber oq quero e talvez fazer até outra faculdade, duas áreas me chamam muita atenção hoje em dia, que é o Direito e agronomia, atualmente já conversei com alguns colegas da área até pra saber mais, já decidi que vou sair da área esse ano, ano que vem vou estar procurando algum trabalho diferente, vendo até se consigo perto de umas das áreas, se possível do Direito onde aprecio mais, eu gosto muito de ajudar as pessoas, isso me faz bem,fico feliz quando ajudo alguém. Por fim, sei que essa idolatria me fez mal, isso é uma merda, sei também que 17 anos não é a idade de entrar na faculdade, não temos maturidade suficiente para saber o realmente queremos, essa é minha opinião, então se você leu até aqui, e está indeciso com a sua profissão ou algo do tipo, procure saber mais da área, se possível tente ver na prática como é essa profissão para não cometer o mesmo erro que eu, e sim, eu sei que tem pessoas que se dão bem quando entram cedo na faculdade,porém eu não fui uma delas, e detalhe minha namorada foi, então não é uma matemática exata. Vocês que tem uma perspectiva diferente da minha cometem aqui, um grande abraço.
submitted by Impressive_Ad3980 to desabafos [link] [comments]